DNS personalizado: como acelerar sua internet

Depois de presenciar (e sofrer) com problemas de DNS de várias operadoras, resolvi procurar uma alternativa para escapar de algumas surpresas desagradáveis.

Afinal, o que é DNS?

Lembra que antigamente havia uma coisa chamada número de Auxílio á Lista? Sim, o famoso 102!

Comparando e simplificando, DNS é o 102 da internet. Ele ajuda a encontrar o site que você quer rapidamente.

Como na vida real, a internet também tem várias “operadoras de telefonia”. Cada operadora virtual possui 2 números de 102: o principal e o secundário. Eu geralmente uso duas operadoras: o OpenDNS e o Google.

Abaixo os números de cada uma:

OpenDNS

208.67.222.222

208.67.220.220

Google

8.8.8.8

8.8.4.4

Para configurar no Windows 7, use este tutorial. Para outros sistemas, clique aqui e escolha a sua versão.

Existem outros serviços semelhantes listados nesse link. Ainda não testei, então use por sua conta e risco.

 

Configuração ideal: MS Security Essentials

Se por um lado as atualizações automáticas do windows (Windows Update) corrigem diversas falhas de segurança, por outro podem trazer efeitos colaterais, como lentidão  e em casos extremos, até impedir o carregamento do sistema, por isso, em algumas situações, é recomendável até desativar essas atualizações.

Ao escolher o Security Essentials como antivírus nos Windows XP, Vista ou 7,  diversas mensagens de alerta podem aparecer, então deve-se configurar  os alertas de segurança e as atualizações automáticas da seguinte forma:

  1. Painel de Controle > Central de Segurança (Central de Ações): Desativar todas as notificações.
  2. Painel de Controle > Windows Update: Apenas notificar sobre as atualizações automáticas.
  3. Win + R > services.msc: Modificar a inicialização dos serviços Superfech, Windows Defender e Windows Update para MANUAL.

Desta maneira o antivírus atualizará corretamente e apenas a notificação de atualização aparecerá como um balão ao lado do relógio durante alguns segundos.

 

 

 

 

 

1 ano de Ambiente Virtual

Hoje Ontem o cyber completaou um ano de funcionamento.

Se não fosse a chuva que não quer dar trégua, diria que anteontem foi aquele sábado ensolarado que abri as portas do cyber. O ano passou voando, mas não por isso foi pouco intenso.

A inauguração não poderia ter acontecido numa ocasião mais incerta: duas semanas antes do início das férias escolares, com uma mínima divulgação, num fim de mês e com muito mais imprevistos que o previsto. Como se já não bastasse a expectativa de como o público iria aceitar o Linux.

baloes-O que?

-Linux.

-Linox?

-Sim, Lí-núx.

-Quié isso?

-É o sistema que faz o computador funcionar.

-Ahn! …é do Windows?

-Não… ele substitui o Windows.

-O XP?

-Esse aí.

-Humm…

Já deu pra sentir o drama? Adivinha quantas vezes rolou esse diálogo durante o ano?

Se nesse início já deu pra provar que sem os amigos somos nada, confirmei também que sem a família somos menos ainda. Pra quem é marinheiro de primeira viagem no mundo dos negócios, saiba que todas aquelas coisas óbvias descritas nos livretos do SEBRAE devem ser levadas muito a sério.

Fazendo uma rápida retrospectiva, vou citar alguns fatos marcantes (e engraçados) que me vem à cabeça.

24/11/2007, 8:30h: É um sábado de sol, mas não aluguei um caminhão. Abro a loja. Dá pra sentir o cheirinho de cola e serragem dos móveis novos.

24/11/2007, 9:15h: Inicio a inauguração da loja com duas pessoas presentes. Uma fisicamente (eu) e o Marcelão via Skype lá em Flemsburg.

carlao-com-chimarrao-metal24/11/2007, 9:21h: O Carlão chega no Libertymóvel e traz um chimarrão pra brindar o momento histórico.

24/11/2007, 10:30h: Entra o primeiro cliente. É a Elizângela, minha vizinha de loja. Veio imprimir uma foto. Deu uma treta na impressora e levei quase dez minutos pra fazer funcionar.

24/11/2007, resto da manhã: Alguns clientes em potencial entram na loja e acham que os móveis são muito bonitos. E só.

24/11/2007, sessão da tarde: Finalmente! O primeiro cliente de verdade! Me atrapalho um pouco pra explicar o sistema de segurança (o que apaga todos os dados ao finalizar os acesso), mas no fim tudo dá certo.

25/11/2007, manhã e tarde: Mais alguns clientes aparecem. O movimento é fraco. Também, domingão de sol em Floripa… Percebo que nas estações a conexão não está lá essas coisas. No servidor, aparentemente tudo ok. Será que tem algum problema com a rede wireless?

moveis-cyber25/11/2007, noite: O movimento é bom. A galera começa a chegar da praia e vêm dar uma conferida na nova loja do bairro. A conexão começa a cair em alguns computadores mas retorna logo em seguida. Todo mundo acha os móveis lindos. Eu sei, eu sei ;-)

26/11/2007, segunda-feira 6:15h: Levanto da cama. Agora sim é pra valer. É hoje que eu vou ver se eu investi bem o meu rico dinheirinho. Durante o dia a conexão wireless cai a cada 10 minutos em 4 das 5 máquinas. Uma das máquinas funciona normalmente o dia inteiro. Não tenho a mínima idéia do que está acontecendo. Testei a rede em casa, quase que ininterruptamente durante 2 semanas sem nenhum problema e aqui nessa salinha de nada começa a dar todo tipo de pau.

27/11/2007, terça-feira: Decidi fazer uma rede cabeada. Uso o servidor para rotear e um switch Encore dos mais vagabundos pra distribuir a rede. Por via das dúvidas trouxe mais dois switchs de reserva. Ás 2 da tarde sou um feliz proprietário de um cyber que possui acesso à internet… uhuh!!

Resto da primeira semana: Jonh Hall vem a Floripa e a empresa que o trás me convida pra apoiar a divulgação. Ha! Te mete com o cara!!!

Segunda semana: Uma das máquinas faz um barulho estranho e em seguida estoura a fonte. Preciso comprar uns estabilizadores.

Algum domingo a tarde qualquer: Um bebum entra no cyber, diz que é da polícia civil. Não sei se dou risada ou faço ele sentar nas bromélias do canteirinho ali da frente.

Primeiro mês: Entro em contato com a Coca-Cola e peço uma geladeirinha. O Debian muda o GNOME do Lenny para a versão 2.20 e me dá motivos suficientes pra tentar aprender a fazer decentemente os scripts de configuração.

Segundo mês: Já deu pra tirar uma febre das dificuldades dos clientes com o Linux. Conclusão: as dúvidas relativas aos sistema são poucas e simples. Como desmontar um pen-drive, onde estão os arquivos baixados, uma ou outra particularidade do aMSN e do eMeSeNe, algumas diferenças entre o Word e o Writer do OpenOffice… Algumas dúvidas ainda persistem, como: “Os numerozinhos não estão funcionando (tecla Num Lock desligada)” ou “orqut, o yutube e o gloogle não querem entrar” . Acreditem, isso acontece com MUITA freqüência.

Março/2008: Problemas com o MSN Messenger. A versão BETA do eMeSeNe tem atualizações diárias e não conecta durante alguns dias. O aMSN também fica estranho. O dia que um funciona o outro dá problema.

Abril/2008: O GNOME 2.22 zoa com os meus novos scripts. Os clientes clamam por serviços de fax e xerox. Alugar uma máquina dessas é muuuito mais fácil do que eu pensava.

Maio/2008: Problemas com a prefeitura. Um fiscal me informou que eu preciso ter um alvará sanitário.

-Mas eu só tenho computadores aqui.

-O senhor deve entrar em contado com o órgão competente e regularizar a sua situação.

Engraçado… a loja de roupas aqui do lado não precisa disso.

Julho/2008: A NET começa a me avacalhar com o VíRTUA. Primeiro um problema que dava toda a pinta de ser DNS. Depois começaram as constantes quedas e várias manhãs sem conexão. Quando voltava, funcionava mal e porcamente. Mal sabia eu que era o início de três meses de stress.

nois-no-cyberAgosto/2008: A Coca-Cola Vonpar demonstra toda a sua – baixa – eficiência e depois de 8 meses me trás a geladeira… errada! Uma semana depois eles me trazem uma geladeirinha com adesivos do Suco Mais (que é uma delícia). O vendedor sutilmente me informa que pelo fato de ser um refrigerador para sucos eu deveria comprar mais… sucos! Movimentei minha sombrancelha direita e pensei em mandar ele sentar nas bromélias do canteirinho, mas como cara era muito grande apenas falei que se eu não pudesse escolher os produtos ele poderia levar o frigobar embora de moto.

Setembro/2008: Tomo vergonha na cara e registro um domínio: ambientevirtual.net. Tá certo que ainda não fiz uma página decente, mas eu não quero falar sobre isso.

Outubro/2008: Sai o BrOffice 3. Agora chega de incomodação por causa dos malditos .DOCX. por outro lado, a compatibilidade com os .DOC diminuiu.

Novembro/2008: Começo a testar o nada menos que excelente (eu pago pau mesmo, e daí?) OpenLanhouse, que apesar de ainda estar na versão 0.1 é muito bem estruturado e tem muito mais recursos que o Zeiberbude.

Tá, o tal do Linux? É possível ter um cyber 100% Linux?

Sim.

É necessário um bom nível de conhecimento?

Sim.

Mas é preciso muito mais que isso: Conquistar o cliente. Simpatia, atenção, solicitude… 99% dos clientes nunca haviam tido contato com o Linux. É mais simples, é mais fácil mas é diferente. E esta é a pedra no sapato. Se um ícone for movido já é motivo de reclamação. O cliente quer comodidade, mas mais do que isso, o cliente quer ser MUITO bem atendido. Meu cyber não tem os preços mais atraentes e para alguns clientes nem é o mais perto, mas apesar de eu não ter o Word ou o Live Messenger, tenho uma clientela fiel, pois aqui tudo funciona muito bem, obrigado.

Esse foi o resumão do ano. Se eleito for, atualizarei este blog com uma alta freqüência, quiçá diária… déjà vu? Sério, qualquer hora dessas, volto contando mais casos e alguns causos.